Press "Enter" to skip to content

Textos

CARTA DO PAPA FRANCISCOA TODOS OS FIÉIS PARA O MÊS DE MAIO DE 2020

Queridos irmãos e irmãs!

Já está próximo o Mês de Maio, no qual o povo de Deus manifesta de forma particularmente intensa o seu amor e devoção à Virgem Maria. Neste mês, é tradição rezar o Terço em casa, com a família; dimensão esta – a doméstica –, que as restrições da pandemia nos “forçaram” a valorizar, inclusive do ponto de vista espiritual.

Por isso, pensei propor-vos a todos que volteis a descobrir a beleza de rezar o Terço em casa, no mês de maio. Podeis fazê-lo juntos ou individualmente: decidi-vos de acordo com as situações, valorizando ambas as possibilidades. Seja como for, há um segredo para bem fazê-lo: a simplicidade; e é fácil encontrar, mesmo na Internet, bons esquemas para seguir na sua recitação.

Além disso, ofereço-vos os textos de duas orações a Nossa Senhora, que podereis rezar no fim do Terço; eu mesmo as rezarei no Mês de Maio, unido espiritualmente convosco. Junto-as a esta Carta, para que assim fiquem à disposição de todos.

Queridos irmãos e irmãs, a contemplação do rosto de Cristo, juntamente com o coração de Maria, nossa Mãe, tornar-nos-á ainda mais unidos como família espiritual e ajudar-nos-á a superar esta prova. Eu rezarei por vós, especialmente pelos que mais sofrem, e vós, por favor, rezai por mim. Agradeço-vos e de coração vos abençoo.

Roma, São João de Latrão, na Festa de São Marcos Evangelista, 25 de abril de 2020.

Francisco

Oração a Maria

Ó Maria, Vós sempre resplandeceis sobre o nosso caminho como um sinal de salvação e de esperança. Confiamo-nos a Vós, Saúde dos Enfermos, que permanecestes, junto da cruz, associada ao sofrimento de Jesus, mantendo firme a vossa fé.

Vós, Salvação do Povo Romano, sabeis do que precisamos e temos a certeza de que nô-lo providenciareis para que, como em Caná da Galileia, possa voltar a alegria e a festa depois desta provação.

Ajudai-nos, Mãe do Divino Amor, a conformar-nos com a vontade do Pai e a fazer aquilo que nos disser Jesus, que assumiu sobre Si as nossas enfermidades e carregou as nossas dores para nos levar, através da cruz, à alegria da ressurreição. Amém.

À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus; não desprezeis as nossas súplicas na hora da prova mas livrai-nos de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita.

Oração a Maria

“À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus”.

Na dramática situação atual, carregada de sofrimentos e angústias que oprimem o mundo inteiro, recorremos a Vós, Mãe de Deus e nossa Mãe, refugiando-nos sob a vossa proteção.

Ó Virgem Maria, volvei para nós os vossos olhos misericordiosos nesta pandemia do coronavírus e confortai a quantos se sentem perdidos e choram pelos seus familiares mortos e, por vezes, sepultados de uma maneira que fere a alma. Sustentai aqueles que estão angustiados por pessoas enfermas de quem não se podem aproximar, para impedir o contágio. Infundi confiança em quem vive ansioso com o futuro incerto e as consequências sobre a economia e o trabalho.

Mãe de Deus e nossa Mãe, alcançai-nos de Deus, Pai de misericórdia, que esta dura prova termine e volte um horizonte de esperança e paz. Como em Caná, intervinde junto de vosso Divino Filho, pedindo-Lhe que conforte as famílias dos doentes e das vítimas e abra o seu coração à confiança.

Protegei os médicos, os enfermeiros, os agentes de saúde, os voluntários que, neste período de emergência, estão na vanguarda arriscando a própria vida para salvar outras vidas. Acompanhai a sua fadiga heroica e dai-lhes força, bondade e saúde.

Permanecei junto daqueles que assistem noite e dia os doentes, e dos sacerdotes que procuram ajudar e apoiar a todos, com solicitude pastoral e dedicação evangélica.

Virgem Santa, iluminai as mentes dos homens e mulheres de ciência, a fim de encontrarem as soluções justas para vencer este vírus.

Assisti os Responsáveis das nações, para que atuem com sabedoria, solicitude e generosidade, socorrendo aqueles que não têm o necessário para viver, programando soluções sociais e econômicas com clarividência e espírito de solidariedade.

Maria Santíssima, tocai as consciências para que as somas enormes usadas para aumentar e aperfeiçoar os armamentos sejam, antes, destinadas a promover estudos adequados para prevenir catástrofes do gênero, no futuro.

Mãe amadíssima, fazei crescer no mundo o sentido de pertença a uma única grande família, na certeza do vínculo que une a todos, para acudirmos, com espírito fraterno e solidário, a tanta pobreza e inúmeras situações de miséria. Encorajai a firmeza na fé, a perseverança no serviço, a constância na oração.

Ó Maria, Consoladora dos aflitos, abraçai todos os vossos filhos atribulados e alcançai-nos a graça que Deus intervenha com a sua mão omnipotente para nos libertar desta terrível epidemia, de modo que a vida possa retomar com serenidade o seu curso normal.

Confiamo-nos a Vós, que resplandeceis sobre o nosso caminho como sinal de salvação e de esperança, ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Maria. Amém.

ELAS VÃO EM FRENTE

J. Thomaz Filho

Ficaram confinados. Um fracasso?
O medo, as incertezas… Que fazer.
Alguém há de se erguer e dar um passo…
E então são as mulheres. Queres ver?
Levantam-se, conferem todo o espaço.
Pesada aquela pedra… Vão em frente.
A força lá de dentro, sem temer,
as leva pro jardim, coração crente,
sabendo exatamente o que fazer:
cuidar!… Um corpo morto?… Corpo ausente!!!
Faltava, no desenho, mais um traço:
e assumem a notícia surpreendente!

EM TEMPOS AMARGOS

J. Thomaz Filho

Com quem nós haveremos de aprender,

em tempos tão amargos, a saída?

Ó mãe, tu és a luz a nos dizer

que é hora de encarar toda a avenida

com firme paciência e bem-querer.

Não há que rejeitar proposta alguma.

É tudo analisar. Ter por medida

o que merece amparo em meio à bruma.

Ah! Isto percebemos: sempre a vida!…

Firmemos nosso empenho em dose suma!

Contigo não nos custa compreender:

focando o essencial, tudo se apruma!

DENSA LIDA

J. Thomaz Filho

Os que sobrevivermos ao cuidado
teremos densa lida pela frente:
mexermos no perfil globalizado
do nosso social tão inclemente,
de modo a remoldá-lo humanizado!
Que pese a nossa força coletiva!
A mão do capital já se ressente
e grita pra nos ter na comitiva…
Um novo ordenamento é mais que urgente,
com foco, com voz firme e decisiva!
Que a vida seja o centro, que o mercado
não sugue, apenas sirva a gente viva!

Texto integral da homilia do Papa Francisco neste 27 de março

«Porque sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?» Nesta tarde, Senhor, a tua Palavra atinge e toca-nos a todos. Neste nosso mundo, que Tu amas mais do que nós, avançamos a toda velocidade, sentindo-nos em tudo fortes e capazes. Na nossa avidez de lucro, deixamo-nos absorver pelas coisas e transtornar pela pressa. Não nos detivemos perante os teus apelos, não despertamos face a guerras e injustiças planetárias, não ouvimos o grito dos pobres e do nosso planeta gravemente enfermo. Avançamos, destemidos, pensando que continuaríamos sempre saudáveis num mundo doente. Agora nós, sentindo-nos em mar agitado, imploramos-Te: «Acorda, Senhor!» Continue Lendo>>>>

_____________________________________________

QUERIDOS, cabe fazer um alerta. Já viajei em vários navios da Marinha do Brasil. Servi quase 10 anos embarcado.
Lembro-me como se fosse ontem, de um tipo de adestramento que a esquadra sempre fazia, chamava-se ENDURANCE.
O endurance nada mais era do que lançar o navio ao mar por 30 dias, sem porto. Eram 30 dias de mar “full time”.
Por que estou lembrando disso? É muito importante que você leia até o final. É um ALERTA para você e sua família.
Durante os endurances, os mais antigos de bordo sempre ficavam preocupados com o “moral” da guarnição, pois lá pelo 15º dia em diante, varias coisas aconteciam, principalmente o ESTRESS.
Qualquer coisa desencadeava a porrada nos alojamentos, amigos que, antes do navio, mantinham forte relacionamento, paravam de se falar. Qualquer coisa era motivo de brigas e desavenças. Os mais antigos (do Comandante ao Sub) passavam o dia inteiro e a noite toda monitorando “o humor do pessoal a bordo”, para se evitar coisas piores. Eu até já presenciei suicídio a bordo. É sério. É perigoso manter pessoas, antes livres para ir e vir e fazer o que quiserem, de repente, confinados, sem direito a ir a lugar algum. (no caso do navio, a terra mais próxima era o fundo do mar).
Agora traz isso para a realidade atual.
Nossas famílias estão confinadas dentro de casa, e eles não estão acostumados com isso. Nunca fizeram adestramento para tal. É uma situação completamente nova pra todos vocês. Em poucos dias haverá mudança de humor de vários. Preste atenção aos sinais e seja uma pessoa prudente e experiente. Elimine, logo no início, qualquer zum zum zum dentro de casa que possa prejudicar o “humor da casa”. É muito importante que você seja a pessoa responsável por isso.
Procure proteger sua familia e não cobre muito. Não seja rabugento, nao espere tudo na mão, não seja dono do controle remoto da tv, nao fique o dia inteiro deitado no sofá bebendo cerveja. Esteja o tempo todo FULL TIME, preocupado com o “humor da casa”. Promova jogos, diversão, conversa fiada, estudo bíblico(pra quem é cristão). Assistam filmes juntos, aumente o amor, nunca ao contrário.
Sua casa irá entrar na semana que vem em outro nível psicológico e cabe a você não deixar que o pior aconteça. Você é experiente, eles não.
Mas entenda, vai acontecer. É natural e esperado que aconteça. Entao, como você já sabe disso, seja precavido e não alimente papo errado, nao alimente desavenças, não alimente brigas.
Seus pais, sua mulher, seus filhos, irão ficar estressados muito rapidamente, mas lembra-se:
A ÚNICA PESSOA QUE NÃO PODE FICAR ASSIM É VOCÊ.

Um Fraterno abraço… Autor desconhecido.

FOI NECESSÁRIO

Foi necessário um vírus para desacelerar o planeta. E ele veio por uma bofetada na nossa cara.
Foi necessário um vírus para olharmos com cuidado, zelo e percebermos a fragilidade dos nossos idosos.
Foi necessário um vírus para os pais ficarem com seus filhos e não atribuírem essa responsabilidade aos avós.
Foi necessário um vírus para lembrarmos de conversar com Deus, pois isso andava meio fora de moda,
Foi necessário um vírus para fazer a gente rezar, para fazermos orações para o mundo e não só para nós.
Foi necessário um vírus para voltarmos a ter fé.
Foi necessário um vírus para mostrar que classe social, raça, crença, orientação sexual não tem diferença diante de uma epidemia.
O vírus fez a gente perceber que somos um, que o individualismo não resolve nada, que precisamos de todos.
O vírus deu uma trégua na polaridade, afinal estamos todos no mesmo barco, olhando na mesma direção.
O vírus nos privou do abraço para percebermos o quanto ele é valioso.
O vírus fez a gente perceber o quanto nossas mãos precisam ser higienizadas e que com esse hábito evitaríamos muitas doenças.
O vírus desacelerou até o consumismo, pois as pessoas não vão sair por aí comprando, comprando e comprando! Sairemos de casa para comprar apenas o necessário.
O vírus fez cair os pedidos de fast-foof delivery pois percebemos que cozinhar para nossa família é a forma mais segura de alimentá-los. ( isso andava meio fora de moda)
O vírus veio nos mostrar que o ar pode ficar mais puro com a diminuição de carros circulando, e mostrar que as pessoas podem caminhar mais. (estão evitando o transporte público)
O vírus veio nos ensinar a agradecer todos os dias por estarmos saudáveis.
O vírus veio nos lembrar o quanto a vida é frágil e que precisamos cuidar do nosso corpo e da nossa alma.
O vírus veio nos mostrar que não devemos subestimar as coisas pequenas. Afinal ele é tão pequeno, invisível aos olhos e está mudando o comportamento do mundo.
Foi necessário um vírus para a gente acordar.
E aquele tempo que sempre dizíamos que não tínhamos? Então, o vírus nos mostrou que ele existe.

Augusto Cury